• Veridiana Lopes

Método infalível para organizar as finanças

Com certeza as dúvidas que mais recebo são sempre algo do tipo: quanto eu poupo? Quanto devo separar do orçamento para isso? Como posso me organizar para começar?

Infelizmente, nem todo mundo tem ou teve acesso a educação financeira desde cedo. Não nos ensinam o que fazer com o primeiro salário, como organizar os gastos fixos e variáveis, como e quanto separar para investir. Hoje essa dúvida acaba!


Para começar, você precisa conhecer seu orçamento.


Quanto ganha;

Quanto e onde gasta.

Só conseguimos ir para o próximo passo depois que você entende onde você está. Não dá para organizar ou investir se você nem sabe o que está acontecendo, né? É trabalhoso e doloroso, mas confie em mim: vale a pena.Atenção: não sigam em frente se você não estiver disposto a mudar. Pode ser um choque de realidade grande.

O passo a passo!


  1. Tire seu extrato bancário dos últimos 2 meses;

  2. Grife ou sublinhe todos os gastos fixos e essenciais: aluguel, conta de água, conta de luz...

  3. De outra cor, faça o mesmo para o que é não é essencial: assinaturas, taxas bancárias...

  4. De outra cor, faça o mesmo com tudo o que é variável: lazer, comida, transporte...

  5. E ai vem a hora da verdade: some o resultado de cada cor.


Pausa aqui. O que você encontrar pode ser algo parecido com isso:

  • encontrar custos que sequer lembrava;

  • ver que aquela conta de TV aumentou muito e você não percebeu;

  • perceber que o bar do final de semana está custando muito mais do que deveria.


Tudo isso pode doer, mas eu não quero que você se desespere.

É possível mudar e ter uma vida financeira mais tranquila, mas você terá que tomar algumas decisões.

  • Negocie as contas fixas e não desista até abaixarem o preço (conta de TV, celular, internet, telefone, assinaturas...);

  • Negocie ou pare de pagar tarifas bancárias. Se você só usa a internet, abra uma conta digital;

  • Cancele tudo aquilo que não fará falta e não te agrega: título de capitalização, assinaturas de revistas, seguro do cartão de crédito, cartões com limite mais altos que sua renda...

  • Com tudo isso, você vai sentir um grande alívio no seu orçamento.

  • Tudo aquilo que é importante para você (como um café diário por exemplo), se pergunte: o que eu posso fazer para que isso fique mais barato?


Depois de tudo isso, faça o seguinte: anote durante um mês todos os seus gastos. Da bala até a blusinha. Você vai passar a ter consciência dos gastos e na hora de comprar algo.

Você precisa entender seus hábitos de consumo!



E como separar?


No mundo ideal, deveria acontecer o seguinte:


Mínimo 20% para poupar/investir;

Máximo 55% de custo fixo;

A diferença são os variáveis.


Mas sinceramente? Não tem regra no planejamento financeiro.

O que você tem que lembrar é: se esforce para chegar naquilo e não se sabote. Se você estiver se dedicando de verdade, fique feliz. Mas lembre-se que você sempre pode se esforçar um pouco mais.

Deixar de poupar tem consequências. É isso que vai garantir uma vida financeira mais tranquila e um futuro mais próspero. A escolha é sua.

Eu particularmente tenho muito mais custos variáveis do que fixos atualmente. E não quer dizer que eu deixe de poupar ou tenha uma vida financeira instável. Eu programo um teto: posso gastar até X reais. E foco nisso.



Me mande os resultados do exercício e o quanto você economizou!!

Vou adorar saber!

Lembre-se: você não precisa parar de viver para economizar. Você só precisa fazer escolhas inteligentes e de planejamento, para que caiba no seu bolso.

Até a próxima!

68 visualizações